Alterações e Consequências climáticas...

Há alguns dias, estava tomando café em um padaria. Logo, comecei a fica incomodado com a quantidade de mosquitos “porvinha” . 

 No Brasil, Culicoides paraensis ou C. Furens


Então vamos lá, tomei café rápido e de volta ao trabalho... Passado alguns dias, eu notei que essas pragas, estavam em todos os lugares, no escritório, na chácara, na minha casa, envolta da Sophie e incomodam até na hora de dormir.

É hora da pesquisa, sobre o que andei lendo, são hematófagos, suas picadas são doloridas, além do que transmitem virose oropoche, que faz com que o paciente fique com dores no corpo, febre e fotofobia, e também a doença da Língua Azul, que acomete ovinos e bovinos.

Outro trecho interessante que encontrei “A picada de um “Polvinha” pode resultar em reações alérgicas bem desagradáveis, inclusive se transformando em lesões fibrosas irreversíveis (caroços duros e escurecidos só removíveis por cirurgia).”

Então vamos a primeira pergunta, vocês estão preparados para um mosquito de 2 mm que passa por telas? Vocês imaginam que o único predador de peso contra essa praga, é o frio, só pra lembrar, esse ano não fez frio, nosso clima está todo ferrado.

Algumas medidas para prevenção e combate do mosquito.

  1. Evitar água parada.
  2. Sempre que possível, esvaziar e escovar as paredes internas de recipientes que acumulam água.
  3. Manter totalmente fechadas cisternas, caixas d` água e reservatórios provisórios tais como tambores e barris.
  4. Furar pneus e guardá-los em locais protegidos das chuvas.
  5. Guardas latas e garrafas emborcadas para não reter água.
  6. Limpar periodicamente, calhas de telhados, marquises e rebaixos de banheiros e cozinhas, não permitindo o acúmulo de água.
  7. Jogar quinzenalmente desinfetantes nos ralos externos das edificações e nos internos pouco utilizados.
  8. Drenar terrenos onde ocorra formação de poças.
  9. Não acumular latas, pneus e garrafas.
  10. Encher com areia ou pó de pedra poços desativados ou depressões de terreno.
  11. Manter fossas sépticas em perfeitos estados de conservação e funcionamento.
  12. Colocar peixes barrigudinhos em charcos, lagos ou água que não possa ser drenada.
  13. Não despejar lixo em valas, valetas, margens de córregos e riachos, mantendo - os desobstruídos.
  14. Manter permanentemente secos subsolos e garagens.
  15. Não cultivar plantas aquáticas.

O ponto que quero chamar atenção é que devido a todo esse pandemônio climático, não será apenas a falta de água que vai ser obstáculo, como já foi comentado em outros fóruns e blogs, com pouca água, nossas condições de higiene poderiam passar por alterações, ciclos, os excessos de dejetos poderiam forçar a proliferação dessas e outras pragas, entre elas ratos e baratas, praticamente em condições sanitárias, voltaríamos a idade média.


Então, vocês estão preparados?

4 comentários :

  1. Observações excelentes .. alguns detalhes que não havia parado para pensar antes ...

    Belo texto, valeu!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu pela visita!

      Sim, se vamos falar de sobrevivência, é bom estar atento aos detalhes que nos cercam, de nada vale se cegar com todos os acontecimentos globais,em meio tanta informação e morrer dentro de casa, não que esse mosquito seja grande perigo, mas imagine em situações péssimas de higiene, num seria nada favorável, ter seu corpo atacado pelos mais diversos insetos, além do que isso apenas enfraqueceria mais e mais... De fato água é vida...
      Igual se há uma grande oferta de alimentos, para essas pragas ela se reproduziriam ainda mais...

      Excluir
  2. Respostas
    1. Obrigado pela visita. Volte sempre =)
      Sempre Alerta =)

      Excluir